sexta-feira, março 13, 2009

Aqui tem muito rock and roll

Texto: Mariana Ferré
Fotos: Divulgação

Para quem decidiu sair no sábado, 07 de março, e não compareceu ao Pub Fiction, perdeu uma noite movida pelo rock and roll. O 1° Concurso de Bandas com Composições Próprias, organizado por Natan, dono do bar, movimentou a casa como um bom show de rock deve fazer, apesar de ter havido alguns problemas no som.

O esquema de votação foi voto popular, cada pessoa recebeu um papel na entrada, com o nome de todas as bandas e o espaço para as notas, que iam de 3,0 a 10,0. O prêmio para o 1° colocado é de R$ 250 e para o 2° R$ 100. Natan disse que gostaria de ter dado um prêmio melhor, mas que nenhuma das lojas que ele pediu apoio aceitou contribuir.

Foram 16 bandas com estilos bem variados, cada banda teve 20 minutos no total para se apresentar, 15 minutos para se arrumar e cinco para tocar uma música.

Porém, nenhuma delas ficaram em apenas uma música, as que tiveram maior aceitação do público chegaram a tocar três ou até mais. As bandas maringaenses que se apresentaram foram:Flyer, Black Card, Serena, Mindwall, Hiroshima me Devora, Cash in Flowers, D_tubus Rock, Primórdios, Kyrie, Let’s Rock, Quarentine e ainda Tente Mudar o Amanhã e Brazilian Cajuns de Londrina, Revelia de São José do Ivaí, Antídoto de Palmas e Yoga de Campo Mourão.
Apesar de todas as bandas terem feito um ótimo show, algumas em especial, merecem um destaque devido ao bom som, a boa presença de palco e ao estilo único que mostraram.

Entre elas, a banda maringaense Black Card formada há 5 anos por Mauricio (Vocal, guitarra e trompete), Guilherme (Guitarra e vocal), Allan (Bateria), Aurélio (Baixo) e Herculanum (trompete e vocal), ela tem um estilo hardcore/ska, que lembra um pouco de Dead Fish e Bad Religion. A banda teve alguns problemas de som na primeira música, mas depois mostraram que não estavam ali só de passagem, levantaram o público com ‘Viajando com Ari’ e para a surpresa geral o vocalista tirou um trompete, sabe se lá de onde, e deixou todos de queixo caído. O som ficou ótimo, a galera ficou maluca. Eles se tornaram fortes candidatos para ganhar o concurso, o trompete entrou na hora certa e eles mandaram muito bem. Para conhecer melhor:
http://myspace.com/bandablackcard

A banda vinda de São José do Ivaí, Revelia, não deixou ninguém parado. Formada por Colai Frez (bateria), Gui Lopes (vocal), Leandro Regattieri (guitarra) e Virgilio Borges (baixo), eles têm um estilo próprio com suas críticas à política e ao país. Estão na linha do estilo da banda Faichecleres, misturado com rock anos 80. O vocalista, com uma dançinha pra lá de irreverente, conquistou algumas fãs por aqui. Com a música ‘Sistema’, que faz uma forte crítica aos políticos, o pessoal aprovou nos gritos e pulos e no fim tinha gente cantando o refrão ‘a gente quer tocar no Distrito Federal, já que a festa rola solta no Planalto Central’ é eles tem futuro. Entrem em contato:
http://bandasdegaragem.com.br/revelia



A banda Antídoto, de Palmas, formada por Leandro Scalcon (guitarra e voz), Luis Fernando Rankel (baixo), Miriam Argenta (violoncelo) e Bruno Alves (bateria), merece um destaque especial, pois lançaram seu primeiro CD em janeiro e o melhor, distribuiram para a galera, eles têm um diferencial, Miriam, com seu violoncelo deu um toque feminino nesse grupo. Com influências de hardcore, em especial Bad Religion, a banda é indescritível e de fácil acesso com comunidade no orkut, myspace e vídeo no youtube. Acessem: 
http://palcomp3.cifraclub.terra.com.br/Antidotopalmas/

Agora sem querer desmerecer as outras bandas, mas irei comentar sobre uma em especial que foi a que mais mexeu com a galera, a que mostrou um rock diferente, a que enlouqueceu o público. A banda Brazilian Cajuns, de Londrina, formada por Sinner Jack (Vocal), Herbie Nelson (guitarra), Billy Boy (bateria), Dirty Joe (gaita) Kinky Lawless (violão) e Kid Step Bill (contra baixo), veio com suas influências de Johnny Cash, Bob Dylan, Ernest Tubb entre outros. Caracterizados estilo faroeste, com direito a bota, chapéu, fivela e até lenços amarrados no pescoço, a banda chamou atenção desde a hora em que chegou ao local. Todos estavam curiosos para saber o que aquela banda iria aprontar e quando finalmente tocaram a música ‘Um cavalo chamado cavalo’ a galera foi ao delírio. Foi a banda que ficou mais tempo no palco, tocaram sete músicas e mais algumas após o término do concurso. O vocalista com uma voz inconfundível, o batera tocando em pé e todos animados, foi o que marcou essa apresentação. Com um estilo rural misturado com a energia dos roqueiros essa banda ainda vai dar o que falar. Acessem o my space deles, vai valer a pena:
http://myspace.com/braziliancajunssouthernrebels

Como diria o pai do rock brasileiro, Raul Seixas: “É rock, é um toque, é forte!!”

4 comentários:

Rodrigo disse...

Que venham outros festivais!

\o/

N.J disse...

acho q deveria ter divulgado mais bandas
valewww

Thiago disse...

otimo texto!
curti muito!

eu sempre te falo isso neh
enfim, vc tem futuro!
bjos

f.mungo disse...

faltou uma banda de rolãndia....rsrsrs.
grande iniciativa.